Mundo Notícias

Mundo condena Israel por proteger seu povo

Escrito por Mateus

terroristas palestinos

CONDENAM ISRAEL

UM POUCO DE HISTÓRIA. A verdadeira!

       (Primeiro leiam o artigo, depois se possível os comentários)

        Mundo condena Israel por proteger seu povo – Por – Tzippe Barrow

       JERUSALÉM, Israel — Enquanto contra-ataca o Hamas — a organização terrorista palestina que declara publicamente sua intenção de varrer o Estado judeu do mapa —, Israel enfrenta condenação do mundo árabe.
O porta-voz do Reino Hashemita da Jordânia pediu uma parada imediata na “agressão bárbara” de Israel.
A República Islâmica do Irã, responsável em grande parte pelo financiamento, treinamento e armamento do Hamas e outras organizações islâmicas, pediu ao Ocidente que condene a “agressão selvagem” dos sionistas “contra o povo inocente e indefeso da Palestina.”
O presidente Barack Obama igualou ambos os lados ao exortá-los “a não agir na base da vingança.”
Enquanto isso, a Liga Árabe quer que o Conselho de Segurança da ONU convoque uma reunião por causa da resposta de Israel aos foguetes que estão mirando seus grandes centros populacionais.
Mas muitos israelenses e seus amigos no mundo inteiro estão perguntando: Como é que o mundo pode condenar um país por proteger seu povo? Mas é exatamente isso que Israel enfrenta toda vez que é forçado a agir contra os que buscam sua destruição.
Não parece importar quantas vezes Israel explique, mesmo que muito bem, sua posição, nem importa se Israel tenta evitar danos colaterais enquanto está destruindo fábricas de munições, depósitos de armas, locais de lançamentos de foguetes e túneis de contrabando de armas na Faixa de Gaza.
Os líderes israelenses prometeram que a operação em Gaza se expandirá e continuará até que o ataque de foguetes cesse e a tranquilidade volte.
“O Hamas pagará um preço pesado por disparar foguetes contra os cidadãos israelenses,” o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse depois de se reunir com o ministro da Defesa Moshe Ya’alon, o tenente geral Benny Gantz, chefe do Estado-maior das Forças de Defesa de Israel, e o general-de-divisão Sami Turgeman, chefe do comando do Sul.
“A segurança dos cidadãos de Israel é prioridade absoluta. Nosso exército é forte, a frente interna é firme e nossa nação é unida,” Netanyahu disse.
“O Hamas escolheu o aumento da violência,” Gantz disse. “A outra organização se uniu a ele e nós usaremos todo o poder que temos, em graus variados, para garantir o que consideramos vitória. Cobraremos o preço total [do Hamas] pelo erro estratégico que fez.”
Ya’alon também disse que o Hamas pagaria “um preço muito pesado” e a campanha terminaria “numa questão de dias.”
“Estamos destruindo as armas [das organizações terroristas], a infraestrutura terrorista, os sistemas de comando e controle, as instituições, os prédios governamentais, as casas dos terroristas,” Ya’alon disse. “ E estamos matando terroristas no alto comando da organização,” se referindo aos ataques aéreos precisos que eliminaram um terrorista de alto nível do Hamas na quarta-feira enquanto ele viajava de moto no norte de Gaza.
“Continuaremos a atingir bem forte o Hamas e outras organizações terroristas do ar, mar e terra a fim de garantir a segurança dos cidadãos de Israel,” Ya’alon disse.
A maioria dos israelenses apoia a operação total do governo contra os jihadists com sede em Gaza. Muitos esperam que as Forças de Defesa de Israel conseguirão de forma vitoriosa destruir tanta infraestrutura terrorista quanto possível, que estão agora ameaçando os grandes centros populacionais do Estado judeu.
Traduzido por Julio Severo do artigo da TV CBN: World Condemns Israel for Protecting Its People
Fonte: www.juliosevero.com    

Comentários Arnaldo Haaswww.recadosaarao.com.br

Qualquer leitor, que queira ser justo em suas definições sobre os judeus, deve ter no mínimo e de partida duas considerações: 1 – Separar os verdadeiros judeus, um povo trabalhador, inteligente, que deseja viver em paz, daqueles que se dizem ser judeus e não são, falo da besta internacional comandada por falsos judeus, as famílias malditas e satânicas. 2 – Deve saber que Israel apenas se defende, se não fosse constantemente atacado, não revidaria!
Óbvio que a imprensa mundial, trata de se bater contra os primeiros, a ignorar os falsos, e a fazer de inocentes os que atacam constantemente o Estado de Israel, entretanto são tendenciosos quando pretendem que Israel não se defenda. O fato é que a luta entre Israel e os Palestinos, é a mesma desde Abraão: Isaac contra Ismael, o filho dileto contra o bastardo, também Jacó contra Esaú, o filho da bênção contra o da maldição.
Tantas vezes já ouvi pessoas se manifestando, dizendo que Deus agiu injustamente contra Ismael e Esaú, mas tentem imaginar se Deus tivesse feito o contrário, se ao invés de proteger Isaac e Jacó, que eram filhos dóceis, tivesse entregado o mundo para a linhagem de Ismael e Esaú, que eram belicosos, rebeldes, nômades, nunca satisfeitos com o que têm e sempre dispostos a ir a guerra em busca de suas pretensões, entre elas roubar e se apossar da terra e dos bens dos outros.
De Isaac, Jacó e das onze tribos abençoadas – menos a de Dã que era também maldita, a qual pertencem hoje os falsos judeus da sinagoga de satanás – saiu a religião do amor, pelo judeu Jesus Cristo, homem e Deus. De Ismael e Esaú brotou a religião do ódio, da destruição, da guerra contínua, da perseguição, da tortura, de um povo carregado de ódios milenares, que tantos martírios tem realizado através dos séculos. Então, Deus foi sábio e justo para conosco! Ou o mundo seria um inferno, se ainda existisse!
Os verdadeiros judeus somos nós, os filhos do amor, e estes não precisam necessariamente estarem residindo nas terras do Estado de Israel: este povo está disperso pelo mundo, seu sangue de bênção divina permeia já todos os povos e raças! E assim, onde você encontra a paz, o trabalho honesto e decente, o amor para com os irmãos, a partilha humanitária, a busca da salvação eterna das almas, a justiça e acima de tudo o amor a Deus sobre todas as coisas, você encontrará ali o sangue judeu! Dos verdadeiros!
Mas onde você encontrar sedição, intriga, discórdia, ódio, revolta, perseguição, sangue derramado, tortura, escravidão e falta de paz, tenham certeza de que naquelas veias corre o sangue da maldição, daqueles que continuamente desafiam a Deus, não desejam a conversão, e que matam a quem deseja se converter ao Deus do Amor. E não é que não tenham chance de se converter! Durante o êxodo, os judeus enfrentaram 32 povos, apenas um se converteu, os outros todos tiveram que ser eliminados.
Deus assim o permitiu, porque eram rebeldes, não queriam se converter, nunca voltariam ao Deus da paz, e mesmo diante dos milagres e prodígios que Deus realizava em favor dos seus, eles não dobravam a cerviz, antes continuavam a jogar seus filhos dentro do ídolo Moloc, nada mais que um touro de bronze com o interior incandescente. Não tinham cura e o mesmo ocorre com os palestinos! São voltados continuamente para o ódio, e se vivem mal é porque vivem longe do verdadeiro Deus. Mas atenção a estes: Deus continuará protegendo seu Israel, que nunca será destruído! Quem viver verá! Ele voltará a agir em seu favor. Em breve, muito em breve!
Há quem reclame pelo fato de haver sido implantado o Estado de Israel, quando na realidade todas as terras foram compradas aos antigos donos, os palestinos, que ao invés de se misturarem ao povo e crescer junto, passaram a residir nas beiradas do estado, sendo sempre um espinho para Israel. O próprio patriarca Abraão já previu isso, dizendo que os filhos de Ismael seriam como um jumento bravo, morando sempre diante do seu irmão, e brigando constantemente com ele.
Quanto a residirem em um Estado próprio, acho que dificilmente os palestinos conseguirão ter seu país de verdade, porque também sobre eles pesa a maldição de Sara, a esposa de Abraão quando disse: o filho desta escrava – Ismael – nunca será herdeiro como o meu filho! Muito interessante esta história, porque quando Rebeca, a esposa de Isaac estava grávida de gêmeos – Esaú e Jacó – ela consultou o Senhor o motivo pelo qual os dois brigavam tanto em seu ventre…
E o Senhor lhe respondeu assim, como está em Gênesis 25,23-25 : Tens duas nações em teu ventre; dois povos se dividirão ao saírem de tuas entranhas. Um povo vencerá o outro, e o mais velho servirá o mais novo… Ora. Esaú, que era peludo como um animal nasceu primeiro – o mais velho, portanto – enquanto Jacó, o mais novo, nasceu depois, mas vinha com a mão agarrada no pé de Esaú. Incrível, pois, se mostra que os dois povos brigavam já no ventre da matriarca…
Que aconteceu: Esaú tornou-se caçador e guerreiro, enquanto Jacó era um homem pacífico, que trabalhava no campo e morava numa tenda. Termino – porque não posso colocar aqui o capítulo todo – dizendo que Esaú acabou vendendo o direito de progenitura para Jacó, por um reles prato de lentilha, a mesma coisa que aconteceu depois da segunda guerra, quando os palestinos venderam as terras de Israel por 55 milhões de dólares, se foi pouco ou não, importa que já houve um precedente.
E o dinheiro foi gasto, agora sobrou o desgosto! E sobrou esta eterna luta, que NUNCA acabará, até que venha o Reino da Paz. Nele entrarão apenas os filhos da paz, do sangue bendito, da bênção divina! A todos é dado converter-se para este Amor, ninguém poderá alegar injustiça da parte de Deus. Os que não quiserem viver esta paz são livres, mas nunca mais haverá na terra filhos da rebeldia, do ódio, da guerra, voltados para a sedição e a desgraça dos outros. E Alá não lhes pode dar isso! Enfim…
O tempo dos Árabes e Palestinos, de todos os filhos de Maomé é curto, para voltarem ao seio de Abraão! Este é o único lugar onde Ismael e Isaac, onde Esaú e Jacó podem viver em tranquilidade, e para sempre. Porque o decreto sobre ambos já foi dado: Ismael e Esaú, os mais velhos, serão vencidos pelos mais novos – Isaac e Jacó – e serão servidos por eles. Os decretos divinos são eternos! Seus desígnios imutáveis! Suas leis perfeitas e eternas! Temos um Grande Deus! Justo e é do bem, para os filhos do bem, da bondade, do amor, da justiça e da paz! (Aarão)

Sobre o autor

Mateus

  • José Osivan

    Eu sou totalmente contra guerra, contra terrorismo e a favor da paz. O mundo precisa de paz. O nosso Deus é o Deus da paz.

    • Rennan Paloschi

      Somos todos a favor da paz, se tentassem estuprar a sua filha, não tomaria nenhuma medida pra mante-la em segurança? É isso que Israel faz.

  • Marcelo Barreto

    Israel não é nenhum santo. Portanto, aos que se dizem católicos, parem de proteger esses falsos judeus, que nem dignos de nosso respeito e atenção são! São uns genocidas, afinal, eles mataram Nosso Senhor Jesus Cristo, não podemos nem devemos jamais tomar um judeu por amigo. Eles são falsos, nos odeiam, fingindo ser nossos amigos, na verdade, nos querem como seus idiotas úteis. Não representam nem os verdadeiros judeus bíblicos. ACORDEM!!!!!