• Evangelho de hoje (21/02/2012) Marcos 9,30-37 Data da Postagem: 21 fev 2012 | Autor: Ataíde | Comentários: 0 comentário
  • Print Friendly
    Jesus e os discípulos saíram daquele lugar e continuaram atravessando a Galiléia. Jesus não queria que ninguém soubesse onde ele estava porque estava ensinando os discípulos. Ele lhes dizia:
    - O Filho do Homem será entregue nas mãos dos homens, e eles vão matá-lo; mas três dias depois ele ressuscitará. Eles não entendiam o que Jesus dizia, mas tinham medo de perguntar.
    Jesus e os discípulos chegaram à cidade de Cafarnaum. Quando já estavam em casa, Jesus perguntou aos doze discípulos:
    - O que é que vocês estavam discutindo no caminho? Mas eles ficaram calados porque no caminho tinham discutido sobre qual deles era o mais importante. Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse:
    - Se alguém quer ser o primeiro, deve ficar em último lugar e servir a todos. Aí segurou uma criança e a pôs no meio deles. E, abraçando-a, disse aos discípulos:
    - Aquele que, por ser meu seguidor, receber uma criança como esta estará também me recebendo. E quem me receber não recebe somente a mim, mas também aquele que me enviou.

    Bíblia Sagrada – Nova Tradução na Linguagem de Hoje

    Bom dia!

    “(…) O que faz com que na maioria das vezes não compreendamos corretamente a mensagem de Jesus geralmente são as diferenças que existem entre os nossos interesses e os dele. Enquanto Jesus estava pensando na necessidade da cruz para a realização do Reino de Deus, seus discípulos estavam pensando em um reino com critérios humanos, fundamentado principalmente nas diferenças, nas relações de poder e na hierarquia social, econômica e política. Sempre que não nos colocamos em sintonia com o projeto de Jesus e não colocamos o amor como o critério último das nossas vidas, podemos nos equivocar na compreensão do Evangelho e buscar interpretações que existem muito mais para legitimar os nossos interesses do que para nos conduzir à verdade e ao Reino” (Reflexão proposta pela CNBB)

    Vai começar a campanha da fraternidade 2012 cujo foco é a saúde pública brasileira, mas o que isso tem haver com o evangelho de hoje? Tudo haver. Releia a reflexão da CNBB…

    O sistema único de saúde brasileiro (SUS) é um dos melhores do mundo, pois atinge uma gama imensa de pessoas com atendimentos, consultas, exames, inclusive na facilitação de cirurgias, aquisição de medicamentos essenciais e de alto custo… Sabia disso? Sim temos o melhor programa de saúde publica do mundo… no papel e na prática. Experimenta não ter um cartão de seguro social nos Estados Unidos e perceberá o quanto o nosso SUS é bom.

    Sim! Ele é bom, mas poderia ser muito melhor se não fosse alvo de tantos interesses e aproveitadores.

    Desvio de dinheiro público, sanguessugas, superfaturamento, remédios perdendo a validade, falta de fiscalização e administração do bem público acabam ferindo a ponta mais frágil desse circuito: o povo!

    “(…) O que faz com que na maioria das vezes não compreendamos corretamente a mensagem de Jesus geralmente são AS DIFERENÇAS QUE EXISTEM ENTRE OS NOSSOS INTERESSES E OS DELE”. O interesse de Jesus é seu povo, talvez o povo não seja o interesse dos que nos governam e criam as leis em nosso pais.

    A preocupação que vemos hoje não é o povo e sim a ideologia partidária (será que ainda existe ideologia nsso?). Um gestor ao terminar seu mandato, bom ou ruim, é substituído pelo que fora eleito, mas o que fez de bom, pouco importa, pois cargos serão loteados e divididos entre os que ajudaram na campanha vencedora. O sangradouro só muda de mãos.

    Ao deparar a realidade dos pronto-socorros lotados com pessoas vindas de todas as partes, profissionais de saúde se reinventando para poder fazer dez caberem em cinco leitos, pois o posto de saúde ou policlínica do bairro não tem atendimento para a especialidade parece contradizer com as discussões calorosas dos plenários municipais, estaduais e federais sobre a importância de se investir em saúde enquanto discutem décimos quartos e quintos salários.

    O governante, o lesgislador o representante público deveria entender o que Jesus disse : “Se alguém quer ser o primeiro, deve ficar em último lugar e servir a todos”. Não consigo compreender por que partidos políticos, ideologias partidárias pouco se importam com quem passa fome e precisa de educação e saúde de qualidade. Na visão deles, pouco importa a competência de quem administra desde que seja dos seus aliados e esteja disposto a fingir que não sabe de nada quando são investigados seus desmandes.

    Vamos ler a primeira leitura?

    “(…) De onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, justamente, das paixões que estão em conflito dentro de vós? Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir”.(Tiago 4, 1-2)

    Difícil entender como o melhor programa de saúde pública do mundo consegue ser tão mal administrado. Como compreender e não se indignar ao ver tantas pessoas deitadas nos corredores dos hospitais por falta de algodão, agulha ou gaze e ter sobrando dinheiro para comprar ambulâncias ao dobro do preço? Ter hospitais inaugurados sem nenhum aparelho, mas aprovar licitação para adquirir cadeiras massageadoras para os glúteos de nossos ilustres representantes.

    Precisamos mudar isso saindo da inércia! Fiscalizando e denunciando!

    “(…) Escritura diz: ‘Deus resiste aos soberbos, mas concede a graça aos humildes’. Obedecei, pois a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós. Purificai as mãos, ó pecadores, e santificai os corações, homens dúbios. Ficai tristes, vesti o luto e chorai. Transforme-se em luto o vosso riso, e a vossa alegria em desalento. Humilhai-vos diante do Senhor, e ele vos exaltará”. (Tiago 4, 6-10)

    Um Imenso abraço fraterno!

    Fonte: deusemaior.com.br/