• A cura interior – Gestação Data da Postagem: 11 ago 2011 | Autor: Mateus | Comentários: 0 comentário
  • Print Friendly

    - Pe. Robert de Grandis
    Mantido o tom coloquial

    Vamos falar de uma das áreas mais sensíveis da cura interior. Primeiro, tomemos um belo exemplo da cura interior em Atos 26,11. Esse texto se refere a um terrorista religioso, um homem terrível. Matava as pessoas em nome da religião, era cruel com as mulheres. Ouçamos o que esse homem disse: “Percorrendo todas as sinagogas, eu multiplicava as minhas maldades contra eles para os forçar a blasfemar e, no auge do meu furor, eu os perseguia até mesmo nas cidades estrangeiras”. Esse homem era terrível, mas depois ele disse: “A graça de Deus em mim não foi em vão”.
    Os anos se passaram, a graça de Deus trabalhou nele a ponto desse terrorista religioso tornar-se um dos homens mais capazes de amar. Ele escreveu o poema mais belo sobre o amor (1Cor 13,1-13). Lembrem que quem está falando é um terrorista que foi curado pela graça de Deus e recebeu profunda cura interior: “O amor tem paciência, o amor é serviçal, não é ciumento, não se pavoneia, não se incha de orgulho, nada faz de inconveniente, não procura o próprio interesse, não se irrita, não guarda rancor, não se regozija com a injustiça, mas encontra sua alegria na verdade. O amor tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (1Cor 13,4-7). Então, você pode ver que a graça de Deus não trabalhou em vão. Nós, na Teologia, dizemos: “A conversão dos piores os torna os melhores”, porque eles têm uma força de vontade muito forte, tanto para o bem quanto para o mal. E é por isso que precisamos trabalhar e rezar pelas pessoas que pensamos que jamais se converterão. Porque, em geral, quanto mais pecadores eles são, mais santos serão quando se converterem.
    Então, a área mais sensível da cura interior é no ventre da mãe. Nos Estados Unidos, muito trabalho científico no campo da Psicologia está sendo feito para descobrir o quanto a criança ainda no ventre recebe da mãe. Eles descobriram, por exemplo, que, ainda no ventre, a criança pode reconhecer as vozes da mãe e do pai. E, se a mãe rezar pela criança no seu ventre e impuser a mão sobre ele, a criança vai fazer um movimento em direção às mãos da mãe, porque pode sentir o amor e a energia que vêm daquelas mãos. Eles aprenderam que a criança recebe da mãe não apenas o alimento que a mantém viva, mas também as emoções pelas quais a mãe passa, especialmente no momento da descoberta da gravidez. A criança percebe a alegria da mãe ao descobrir que está grávida, ou a raiva e o ressentimento. Os psicólogos têm chamado isso de “a ferida da mãe”. E a maioria afirma que muitos de nós precisamos de cura profunda da negatividade que sentimos no ventre de nossa mãe: conflitos entre a mãe e o pai, conflitos com parentes, problemas financeiros, medo, se por acaso ela perdeu outras crianças… Psicólogos têm descoberto que a criança já nasce cheia de emoções.
    E uma das primeiras coisas que queremos dizer é que, se como mãe, você não quis ficar grávida e sentiu emoções negativas com relação à criança no seu ventre, uma das melhores coisas que você deve fazer é chamar a criança e dizer a ela a verdade, dizer que você não a queria e pedir que perdoe você. Isso, é o principal. Em 100% dos casos a criança vai perdoar e muito do bloqueio entre a mãe e o filho indesejado vai ser curado com esse perdão. Porque a criança pode sentir os sentimentos da mãe, e isso é lógico, pois se a criança recebe tudo físico da mãe, por que não receberia também o lado psicológico e até mesmo o lado espiritual? Muitos dos santos canonizados tinham pais e mães santos. Receberam o amor do Senhor através dos pais. Santa Teresa de Lisieux tem uma mãe santa e um pai santo. Ela recebeu essa herança espiritual de santidade dos seus pais.
    Uma psicóloga disse que ficou grávida enquanto estudava para o doutorado e ficou com raiva por estar grávida e, anos mais tarde, quando sua filha já era adolescente, ela chamou-a e disse-lhe a verdade e pediu que a perdoasse, e a filha disse para ela: “Eu sempre senti que era uma carga para você” e foi exatamente isso que a mãe sentiu. E a filha dela tinha uma vida de adolescente muito má, colocando para fora a raiva que sentia da mãe. Então, para aquelas que não queriam engravidar, digam a seu filho e peçam perdão para que haja um novo relacionamento entre vocês.
    O que vamos fazer agora é voltar à nossa própria concepção e imaginar-nos no seio da mãe, mas cheios da luz do Espírito Santo. Algumas pessoas preferem imaginar-se no seio da Virgem Maria, crescendo com Jesus, pedindo a Maria que dê a você o mesmo amor que deu a Jesus. Então, você pode escolher. E vamos caminhar pelas 40 semanas no ventre da mãe, pedindo a Deus que cure a negatividade que recebemos. Nos meus retiros de Sacerdotes, a maioria aprecia muito essa meditação e quando fazem a avaliação, eles sempre citam essa parte como uma das melhores do retiro. Se alguém começar a chorar, não se perturbe, a pessoa apenas chegou a um momento difícil da sua gestação e está lidando com aquele momento. E, creia, nessa oração, todos nós recebemos cura, quer sintamos ou não. Você não tem como ficar numa sala com ar condicionado e não sentir o seu frio; não tem como estar num quarto aquecido e não ficar quente. Da mesma maneira, você não tem como estar num ambiente em que o Espírito Santo está agindo sem ser por Ele atingido. Então, cada um de nós vai receber uma graça. Mesmo se você dormir o Espírito Santo vai estar agindo no seu subconsciente.
    Então, por favor, feche os olhos. Imagine-se no ventre de sua mãe ou no ventre da Virgem Maria, cheio do Espírito Santo e simplesmente relaxe, respire fundo, inspire o Espírito Santo e espire o medo. Inspire o Espírito Santo e espire a culpa. Inspire o Espírito Santo e espire a ansiedade. Inspire o Espírito Santo e espire a confusão.
    “Senhor Jesus, nós selamos este ambiente com o teu precioso sangue, selamos cada pessoa aqui com o Espírito Santo e reduzimos toda atividade maligna espiritual ao silêncio, em nome de Jesus.
    Senhor, nós voltamos ao momento da concepção e, se houve alguma coisa negativa na nossa mãe ou no nosso pai, nesse momento, como bebida, violência, ódio, ressentimento… nós te pedimos que purifiques e limpes o nosso espírito pelo poder do Espírito Santo. Nós te agradecemos, Senhor, porque tu estás lá no momento da nossa concepção, permitindo que sejamos penetrados pelo Espírito Santo. E, Senhor Jesus, à medida que caminhamos pelas 40 semanas que passamos no ventre da nossa mãe, faz com que o Espírito Santo nos cure. Na primeira semana no ventre da nossa mãe, Senhor, se houve alguma culpa na nossa mãe que foi comunicada a nós, cura-nos, Senhor. E agora na segunda semana Senhor, cura toda dor e toda ferida, especialmente o medo; cura-nos Senhor, pelo poder do Espírito Santo. E passamos à terceira semana, à medida que crescemos, Senhor, e talvez tenhamos absorvido raiva e ressentimentos da nossa mãe, toca-nos hoje, Senhor, liberta-nos. Nós caminhamos, Senhor para a quarta semana no ventre. Talvez nossa mãe estivesse só e alienada e nós captamos esse sentimento dela e isso ainda nos prende, cura-nos hoje, Senhor.
    Senhor, caminho agora para a quinta semana; talvez por essa época minha mãe saiba ou suspeite que está grávida. E se houve grande negatividade, grande ansiedade, e nós absorvemos isso dela, cura-nos. Senhor, leva-nos até a sexta semana. Talvez nossa mãe tenha ficado frustrada ou qualquer negatividade que possa ter acontecido, Senhor, cura-nos. Podemos ver o Espírito Santo enchendo o ventre da nossa mãe ou o ventre de Nossa Senhora. Senhor, faz com que teu Espírito toque todo ódio que nossa mãe possa ter sentido. Qualquer coisa que tenhamos absorvido dela, cura hoje. Nós te agradecemos, Senhor, quando caminhamos para a oitava semana. Talvez agora ela já saiba que está grávida e, por alguma razão, encheu-se de raiva de si mesma e nós absorvemos essa experiência no seu ventre. Senhor, nós sabemos que você pode e vai curar isso hoje.
    Agora vamos para a nona semana. Talvez minha mãe tenha se sentido rejeitada pelo Senhor, desamada pelo seu Pai do céu. Só tu, Senhor, és o Salvador, só tu podes nos salvar, só tu podes nos curar. Liberta-nos, enche-nos com teu Espírito Santo. E nós te agradecemos, Senhor, quando tu nos levas agora para a décima semana. Talvez nossa mãe tenha sentido falta de amor da parte do nosso pai ou de sua família ou qualquer que tenha sido a negatividade, Senhor, nós te pedimos cura-nos hoje e liberta-nos. Nós te agradecemos, Senhor, pela cura dessas dez primeiras semanas no ventre, que o Espírito Santo flua através de nós, desde o topo da nossa cabeça até a planta dos nossos pés, purifica-nos com o teu amor.
    Nós te agradecemos, Senhor, quando você entra nessa décima primeira semana de gestação. Talvez nossa mãe tenha-se sentido com falta de atenção e de afeto da parte do nosso pai que teve de distanciar-se, trabalhar em uma outra cidade, ou talvez até a tenha deixado. Nós te pedimos, Senhor, cura as dores e feridas dessa semana com o Espírito Santo, purifica-nos, liberta-nos. E agora, passamos à décima segunda semana. Algumas vezes houve mortes na família, na vizinhança e isso perturba muito as pessoas. Se a nossa mãe foi perturbada por causa da morte de alguém que ela amava, ou por algum tipo de dor e ferida, nós estamos confiando em ti, Senhor, para que tu nos cures hoje. Nós confiamos em ti, Senhor Jesus.
    Entramos na décima terceira semana. Às vezes, Senhor, a doença atinge uma senhora grávida e isso perturba muito a criança que ela traz em si. Nós te pedimos, Senhor, que faças com que ela fique curada, refaz-nos por qualquer dor ou ferida nessa semana. Obrigado, Senhor, por nos purificares. Nós te pedimos, Senhor, que caminhes para a décima quarta semana. Pedimos, Senhor, que, se nossa mãe sofreu uma queda ou acidente, que trouxe para ela medo ou perturbações mentais, físicas ou emocionais, e se nós percebemos isso, liberta-nos, pelo poder do Espírito Santo. Caminhamos para a décima quinta semana. Talvez nossa mãe tenha estado muito preocupada ou muito perturbada por algum problema, talvez financeiro, relacional, de saúde e nós sentimos isso no nosso espírito. Senhor, cura-nos hoje, liberta-nos, enche-nos com teu amor curador.
    Senhor, caminha para a décima sexta semana do nosso tempo de gestação. Talvez nossa mãe tenha se sentido cansada, tomando conta das outras crianças, do nosso pai, com todo trabalho que tinha de fazer. Ela estava física ou emocionalmente cansada. Cura-nos de toda negatividade que recebemos dela, purifica-nos, Senhor. E, cuidadosamente, Senhor, entra na décima sétima semana. Talvez aqui tenha acontecido uma separação de nossos pais e ele deixou, de propósito, a casa, ou se ele a deixou sem querer e minha mãe sentiu a dor dessa separação, nós te pedimos, Senhor, que nos cures, toques, que nos faças novamente sadios, liberta-nos, Senhor Jesus Cristo. E na décima oitava semana, se minha mãe foi acusada de qualquer forma pela sua família, pelos parentes, pela comunidade, por um amigo, qualquer pessoa que a acusou e condenou por qualquer razão, talvez até por estar grávida, e ela sentiu-se rejeitada e nós absorvemos isso, nós te pedimos, Senhor, que cures isso e liberte-nos.
    Agora a décima nona semana. Senhor, qualquer que tenha sido o trauma, físico, emocional ou espiritual, o que quer que tenha sido perturbador, cura-nos agora, purifica-nos, e nós te agradecemos, Senhor, pelo que tu estás fazendo. Agora a vigésima semana. Toca-nos profundamente nessa semana. Talvez, Senhor, tenha havido algum desastre, um desastre nacional ou local que perturbou a nossa mãe e isso foi transferido para nós, cura-nos, Senhor Jesus, liberta-nos. Você veio para libertar os prisioneiros e nós somos prisioneiros das nossas feridas e dores. Liberta-nos, Senhor, como Lázaro estava atado e mesmo quando você o ressuscitou ele teve de ser desatado, desata-nos hoje e, Senhor, obrigado pela cura dessas vinte semanas. Que o teu Espírito Santo nos purifique muito profundamente hoje.
    Senhor, nós te pedimos agora para caminhares conosco na vigésima primeira semana no ventre. Talvez nós tenhamos sofrido de falta de oxigênio ou de alimento, o que quer que tenha sido, Senhor, isso nos feriu nessa semana. Purifica-nos, toca-nos com o teu amor curador. Nós te agradecemos, Senhor. Caminha conosco para a vigésima segunda semana. Talvez nossa mãe tenha ficado de cama, com doença, e foi isolada da família, com angústia, e nós sentimos isso dentro de nós. Purifica-nos, Senhor Jesus, liberta-nos, enche-nos com teu Espírito Santo curador. Agora passamos à vigésima terceira semana e pode ter havido uma separação entre nossa mãe e sua família, por causa da necessidade de mudar-se ela foi separada dos amigos. Por qualquer trauma nessa semana, toca-nos hoje e cura-nos. E caminha conosco para a vigésima quarta semana e toca qualquer coisa negativa nessa semana. Talvez nossa mãe trabalhasse e tivesse que dividir seu tempo entre o trabalho e a casa e isso produziu muito estresse para ela e isso afetou a criança no seu ventre. Cura-nos, Senhor, liberta-nos.
    Na vigésima quinta semana, Senhor, pode ter acontecido alguma dor física porque ela já estava perto do parto. Por qualquer coisa que a tenha entristecido e que foi comunicado a nós, cura-nos, liberta-nos. Senhor, caminhamos para a vigésima sexta semana e algumas vezes as mães chegam ao desespero e à depressão por causa da preocupação e da ansiedade, cura-nos de qualquer coisa que tenha-nos traumatizado, faz-nos livres. Agora, a vigésima sétima semana. Muitas vezes um grande medo vem sobre a mulher quando está perto de ter a criança, nós te pedimos agora que tu toques qualquer medo que tenhamos absorvido, qualquer terror ou qualquer negatividade, enche-nos com paz, alegria.
    Na vigésima oitava semana, como o tempo está se aproximando, pode ter havido preocupações sobre assuntos financeiros ou médicos, cura-nos, Senhor, de qualquer negatividade nessa semana. E caminha conosco para a vigésima nona semana. Se percebemos discussões ou desamor entre nossos pais, o que quer que tenha sido traumatizante nessa semana, cura-nos, liberta-nos. Com todo carinho, leva-nos, Senhor, à trigésima semana de gestação. Tu podes ver o nosso espírito, tu sabes o que nos aflige. Pedimos que tu nos toques e cure-nos. Dá-nos o teu Espírito e obrigado pela cura nessas 30 semanas de gestação.
    Senhor, agora nós caminhamos na trigésima primeira semana de gestação e talvez aqui nossa mãe possa ter sido atacada pela culpa ou outra emoção forte. Cura-nos, Senhor. E na trigésima segunda semana, nossa mãe pode ter-se tornado muito insegura. Ela é incapaz de trabalhar como fazia antes, não pode mais cuidar da família como antes e sofreu muito estresse e insegurança, cura-nos hoje, Senhor Jesus. Na trigésima terceira semana, Senhor, o trauma pode vir de mil fontes, então caminha conosco e toca qualquer coisa que tenha sido negativa, que tenha sido falta de amor, que não tenha vindo do teu Reino. Purifica-nos.
    E passamos à trigésima quarta semana. Talvez nesse tempo a nossa mãe tenha tido de fazer uma cesariana ou qualquer outro procedimento médico que a feriu. Nós te pedimos que nos cures, liberta-nos, enche-nos com teu Espírito, dá-nos aquela paz que o mundo não pode dar, diga somente uma palavra e seremos curados. “A quem iremos, Senhor, só tu tens palavras de vida eterna”. Na trigésima quinta semana, algumas vezes, Senhor, essa semana significa puro terror, especialmente se uma mãe perdeu crianças antes ou se é o primeiro parto, por qualquer que seja a causa de tristeza, cura-nos, Senhor, purifica-nos, liberta-nos e te pedimos que nos toques na trigésima sexta semana, especialmente se houve dor, porque o trabalho de parto já começou ou houve algum problema físico, o que quer que nos tenha afetado, nós te pedimos, cura-nos, liberta-nos.
    Na trigésima sétima semana, muito freqüentemente existe medo, Senhor, mas tu podes lançar fora esse medo que absorvemos de nossa mãe. Só tu és “o Caminho, a Verdade, a Vida”. E agora, na trigésima oitava semana, pedimos que tu toques qualquer sentimento de abandono que nossa mãe possa ter sentido porque nosso pai esteve ausente, porque sua família esteve ausente ou amigo especial. Cura, Senhor, todo sentimento de abandono dentro de nós. Obrigado, Senhor, por nos tocares nessa semana. E, carinhosamente, caminhamos para a trigésima nona semana e te pedimos, Senhor, cura-nos do medo nesse nascimento que se aproxima ou seja qual for a causa. Alcança, Senhor, profundamente o que nos perturba o espírito e cura qualquer coisa que tenhamos absorvido da nossa mãe. E nós te pedimos, Senhor, caminha conosco para a quadragésima semana, e se foi um nascimento difícil, cura-nos, toca-nos.
    Podemos ir bem profundo na cura interior porque todos vocês, através da liderança, caminham no Espírito Santo, mas eu creio que ainda seja bom você ter uma oportunidade de uma cura ainda mais profunda. Se vocês prestaram atenção, o choro das pessoas era um choro de criança, a dor da criancinha estava sendo tocada e curada. Alguns de vocês dormiram em uma ou outra semana, essa é a anestesia do Espírito Santo. Se é muito doloroso, o Espírito Santo faz você dormir e a oração cura o seu espírito e quando ela acaba você acorda e se sente livre. Lembrem-se do que eu disse a vocês: é impossível estar num ambiente em que o Espírito Santo age e não ser curado. Aquele que sente que ainda tem uma dor, uma ferida interior, deve imaginar que é Jesus que dá a você a Eucaristia, para sua cura, e, ao voltar para o seu lugar, imagine que Jesus segura você como um bebê com a Virgem Maria e peça ao Senhor que complete a cura. Porque a Eucaristia é o momento mais poderoso para a cura.
    Você deve rezar pelos seus filhos, um a um, rezando pelas 40 semanas de gestação. Você pode anotar alguns acontecimentos da gestação, se aconteceu, por exemplo durante a décima quinta semana, ore por aquele trauma. Especialmente se o seu filho está na droga ou no álcool, reze assim por ele, é um método muito poderoso. E você pode usar esse método para qualquer pessoa.

    Revista Shalom Maná

    http://www.comshalom.org